Cecilia

***Bem-Vindos*** E um bom regresso às aulas!!

Wednesday, July 12, 2006

As vencedoras

As vencedoras destas adivinhas são:

-Ana Filipa!!

-Ana Patricia!!


As respostas das adivinhas são:

1ºBotão
2ºRio
3ºNúmeros

Beijocas,
Cecilia

Monday, July 10, 2006

Adivinhas!!

Qual é coisa
Qual é ela
Que mesmo dentro de casa
Está sempre fora dela?


Sem voz encanto quem me ouve;
Tenho leito e não durmo;
E, como o tempo, corro sempre.


Abstractos ou concretos,
há-os por aí aos milhões,
saem sempre nos decretos,
nos cheques e nas acções.


São faceis não são??
Fico à espera de respostas...

Beijocas,
Cecília

As vencedoras

As vencedoras destas adivinhas são:

-Ana Filipa

-Ana Patricia



As respostas das adivinhas são:

1º Novelo de Lã
2ºVassoura
3ºPapel

Friday, July 07, 2006

Shakira


Nome: Shakira Mebarak Ripol
Data de nasc.: 2 Fev. de 1977
Local de nasc.: Barranquilla
Signo: Aquário
Olhos: Castanho
Altura: 1, 58 metros
Cor favorita: Preto e branco
Sonho: Cantar com Luciano Pavarotti e Bono Vox, dos U2
Sonho realizado: Ver o Papa
Línguas: Inglês e castellano
Música: Janis Joplin, Police e U2.
Instrumento: Piano e guitarra
Comida: Mojarra frita com patacón (prato colombiano), comida árabe e marisco
Actriz: Participou numa telenovela colombiana chamada «El Oasis»
Actor preferido: Hugh Grant
Defeito: Desordenada
Vício: Ouvir música
Curiosidade: Sabias que com 4 anos Shakira já praticava dança do ventre?

Inicio

Aos vinte e poucos anos de
idade, a colombiana Shakira
conquistou milhões de fãs pelo
mundo inteiro com a sua música de
ritmos latinos e influências árabes.

No dia 2 de Fevereiro de 1977,
em Barranquilla, na Colômbia,
nascia Shakira Isabel Mebarak
Ripoll. O pai é americano, filho de
pais libaneses, e a mãe é
colombiana. Foi destas três
culturas que vieram as suas
influências musicais.

Sabias que Shakira em árabe
significa «mulher cheia de graça» e
que em hindu quer dizer «Deusa da
luz»

Com 8 anos de idade, a
pequena Shakira compôs a sua
primeira canção. Com onze,
aprendeu a tocar guitarra e, com
treze anos, assinou o seu primeiro
contrato discográfico com a Sony
Music da Colômbia.


Esta verdadeira menina-
prodígio passou o tempo de
escola a vencer concursos de
talentos e o coro da sua escola
chegou a pedir-lhe que saísse
porque a sua voz abafava a das
outras meninas...

O seu primeiro álbum Magia
foi lançado logo depois da
assinatura do seu contrato
discográfico, em 1990.

Aqui, a jovem Shakira mostrava
os temas que tinha composto
entre os 8 e os 13 anos.

Com 16 anos, foi escolhida para
representar a Colômbia no Festival
da OTI, em Espanha, mas não
pôde participar por não ter idade
suficiente.

Mesmo assim nunca desisitiu!

Carreira

Apesar de já ter um disco
editado, Shakira decidiu continuar
a estudar.

Quando acabou a escola
secundária, editou o seu segundo
álbum, Peligro e, em 1995, lançou
o terceiro álbum: Pies Descalzos.

Foi com Pies Descalzos que
a bela colombiana, na altura
ainda morena, conheceu o sabor do
sucesso.

A América Latina, o Brasil
e a Espanha começavam a
render-se à sua voz. O álbum
foi número 1 em oito países e
vendeu mais de 4 milhões de
cópias!

Mas o grande boom de
Shakira ainda estava para vir!

Em 1998, o seu álbum
Donde Estan Los Ladrones?
conquista definitivamente o
público latino e americano.

Este quarto álbum foi multiplatina
nos EUA, na Argentina, na
Colômbia, no Chile, na América
Central e no México e disco de
platina em Espanha.



Seguiram-se um Grammy,
apresentações na televisão, capas
de revista, dois Grammys latinos e
o prémio de Artista Feminina Latina
do Ano, nos World Music Awards.

Portugal só se rendeu a Shakira
com a edição de Laundry Service, o quinto álbum de
originais da colombiana, lançado em 2001.

Foi uma paixão tardia, mas os portugueses não
voltaram a esquecê-la.

Artista

Laundry Service foi a aposta de
Shakira no mundo anglo-saxónico.
Foi com este álbum que se tornou
uma vedeta mundial.

Pintou o cabelo de loiro, pôs de
lado as letras em espanhol e
começou a escrever em inglês,
para que "todo o mundo" a
compreendesse.

E não é que resultou?
A julgar pelo sucesso comercial
que alcançou, parece que Shakira foi mesmo
compreendida...


A sonoridade pop/rock, aliada
aos ritmos latinos e à influência
árabe (que vem do seu pai) fizeram
de Shakira a nova estrela do
firmamento musical.

Já não há ninguém que nunca
tenha ouvido o single Whenever,
Wherever e que não acabe por
saber trauteá-lo.

É claro que o videoclip deste
tema e a dança sensual da agora
loiríssima Shakira devem ter uma quota-parte de
responsabilidade neste enorme sucesso.

Bem, a verdade é que, loira ou morena, deusa do pop ou assumidamente roqueira, a bela Shakira parece ter conquistado tudo e todos e é um dos fenómenos mais explosivos da pop actual.

Até quando? Cá estaremos cá para ver...


Beijocas,
Cecilia

Thursday, July 06, 2006

Adivinhas!!

Qual é a coisa, qual é ela,
Comprida como uma estrada
mas que cabe numa mão fechada?

Uma senhora delicada
com a saia redondinha,
ao dançar numa casa
deixa-a muito asseadinha.

O que é, o que é,
cai no chão, não se quebra,
vai à água e logo quebra.


São faceis não são??
Fico à espera de respostas...

Beijocas,
Cecilia

Tabagismo


Tabagismo no mundo

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A OMS estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumadores. Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina e 12% da população feminina no mundo fumam. Enquanto nos países em desenvolvimento os fumantes constituem 48% da população masculina e 7% da população feminina, nos países desenvolvidos a participação das mulheres mais do que triplica: 42% dos homens e 24% das mulheres têm o hábito de fumar.

O hábito de fumar (tabagismo) - acto voluntário de inalar o fumo da queima do tabaco - independentemente da qualidade, quantidade ou frequência, constitui a causa mais importante de mortalidade evitável nos países desenvolvidos.

O total de mortes devido ao uso do tabaco atingiu 4,9 milhões de mortes anuais, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia.

Na Europa, o fumo do tabaco é responsável por um milhão e 200 mil mortes anuais, prevendo-se que, em 2020, este número ascenda a dois milhões.

Tabagismo/Saúde

O tabaco é um dos maiores inimigos da sua saúde.

A saúde é um estado de bem estar e não apenas a ausência de doença ou incapacidade.

O estado de saúde é determinado por quatro factores: a biologia humana, o ambiente, o sistema de saúde e o estilo de vida - comportamento de saúde.

O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis: não utilizar drogas (lícitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, conduzir com prudência, controlar o stress, praticar exercício físico.

O impacto negativo do tabaco está bem estabelecido, na medida em que afecta directamente a qualidade e a quantidade de vida. A cardiopatia isquémica e o cancro do pulmão são os principais contribuintes para o excesso de mortalidade relacionada com o tabaco. Todavia, existe uma forte relação dose-resposta entre o consumo do tabaco e o excesso da mortalidade, medida pela idade de início do hábito de fumar, o número de cigarros consumidos, o número de anos de tabagismo e a profundidade da inalação.

Os primeiros cigarros fumados têm consequências negativas para a saúde, bastam sete segundos para a nicotina atingir o cérebro,estimulando os neurónios. As complicações incluem: a ocorrência de vertigens, olhos a chorar, as mãos a tremer, os músculos tensos, enjoo, alteração no gosto e no cheiro, aumento da pressão sanguínea.

Investigações comprovam que fumar, mesmo que seja só um cigarro, pode trazer graves consequências para a “saúde do seu coração”, podendo, inclusivamente, resultar numa diminuição da capacidade respiratória. Fumar, mesmo que seja apenas um cigarro, pode provocar uma mudança na função principal de bombeamento do coração.

Fumar prejudica a ventilação pulmonar, o transporte de O2 no sangue, prejudica o rendimento físico é incompatível com o desporto de alta competição.

As vantagens de não fumar incluem: bem estar, respirar sem problemas e sem tosse, hálito agradável, dentes e dedos sem manchas amarelas, cheirar a limpo.

Fumar é um dos principais comportamentos perniciosos para a saúde.



Doenças associadas ao Uso do Cigarro
O fumo é responsável por 30% das mortes por cancro;
90% das mortes por cancro no pulmão;
97% do cancro da laringe;
25% das mortes por doença do coração;
85% das mortes por bronquite e enfisema;
25% das mortes por derrame cerebral e por
50% dos casos de cancro de pele.
Cancro

O fumo é responsável por 30% das mortes por cancro e 90% das mortes por cancro de pulmão. Os outros tipos de cancro relacionados com o uso do cigarro são: cancro de boca, laringe, faringe, esófago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero.O fumo está associado a um aumento de risco de uma diversidade de cancros. Dos quase 5 000 componentes do tabaco, mais de 50 demonstraram ser carcinogénicos. Estima-se que 30% de todos os cancros, em países desenvolvidos, estão relacionados com o tabaco:


-Cancro do pulmão.
-Cancro da cavidade oral (lábios, boca, língua), laringe e faringe.
-Cancro do esófago.
-Cancro do pâncreas.
-Cancro da bexiga e rins.
-Cancro do colo do útero.


Doenças Cardiovasculares

25% das mortes causadas pelo uso do cigarro provocam doenças coronarianas

-Cardiopatia isquémica.
-Doença vascular periférica (arteriosclerose).
-Doença cerebrovascular (AVC).

Outras doenças

-Doenças relacionadas com hormonas (menopausa precoce, osteoporose).
-Doenças respiratórias (bronquite crónica, enfisema e asma).
-Doenças gastrointestinais (doença de refluxo gastro-esofágico, úlcera péptica).

Durante a gravidez

O tabagismo pode atrasar a concepção, e durante a gravidez pode afectar de modo negativo o feto. Os recém-nascidos das mães fumadoras pesam menos que os das não fumadoras. O tabagismo materno durante a gravidez pode afectar a médio prazo o desenvolvimento físico e intelectual da criança.



Um Cigarro?
Iniciação/Prevenção

As pessoas começam a fumar principalmente influenciadas pela publicidade maciça do cigarro nos meios de comunicação de massa. A publicidade é dirigida aos jovens e passa a falsa imagem de que fumar está associado ao sucesso, independência e liberdade.

A publicidade sabe aliar as demandas sociais e as fantasias dos diferentes grupos (adolescentes, mulheres, faixas economicamente mais pobres etc.) ao uso do cigarro, fazendo crer que, ao fumar, esses desejos serão realizados, aumentando o consumo do tabaco entre as pessoas mais facilmente influenciáveis. A publicidade directa é feita por anúncios atraentes e bem produzidos; já a publicidade indirecta, é feita através dos ídolos e modelos de comportamento em geral.

Noventa por cento dos fumantes iniciaram seu consumo e tornam-se dependentes antes dos 19 anos de idade, faixa em que o indivíduo ainda se encontra na fase de construção de sua personalidade. O número constante, ou mesmo crescente, de adesões ao tabagismo contribui para que a indústria do cigarro seja altamente lucrativa, investindo constantemente em publicidade, a fim de atrair mais pessoas.

Sendo evidentes os efeitos do tabagismo na saúde pessoas há que continuam a fumar. Em parte poderá ser devido a falta de informação, mas a justificação principal está no facto da nicotina ter características aditivas, a que corresponde uma perda de controlo no consumo de tabaco e dificuldade na cessação de fumar.

Para desistir de fumar será necessário romper o "triângulo do fumador", isto é, controlar os 3 factores principais envolvidos no tabagismo: a dependência psicológica e fisiológica da nicotina; as influências psicossociais (lidar com o stress e a ansiedade, por exemplo); e o hábito. A cessação do tabagismo exige a motivação e a identificação de uma oportunidade adequada.

Prevenção

A educação tem aqui um papel importante na prevenção pois o ideal é não começar a fumar. A promoção da saúde deve começar cedo e na escola e nos locais de trabalho. Como é pouco frequente o hábito de fumar começar depois dos 18 anos, a prevenção primária durante a infância e a adolescência será essencial para reduzir o número de fumadores. Os jovens treinados para resistirem à pressão social, os que sabem das dificuldades em deixar de fumar e os que conhecem as consequências do tabagismo para a saúde, têm maior probabilidade de não começarem a fumar.

A prevenção contra o tabagismo inclui a prevenção da iniciação ao hábito de fumar, a eliminação das fontes de exposição involuntária ao fumo do tabaco, e o apoio/promoção aos programas de abandono do tabaco. Isto implica que, para além do médico, têm responsabilidades nesta área as forças culturais, sociais e políticas.


Dependência e desabituação tabágica

O tabaco é uma droga porque provoca dependência. A substância que provoca a dependência é a nicotina.

O vício de fumar tem-se revelado impossível de combater porque se trata de uma substância com características estimulantes, semelhantes às da cocaína, dando dependência física e psíquica.

Não é fácil deixar de fumar. A nicotina provoca dependência por meio de processos semelhantes aos da cocaína, álcool e heroína, tem características que preenchem os critérios das drogas aditivas: uso compulsivo, efeitos psicoactivos e comportamento reforçado pela droga, tolerância e dependência física, manifestada por uma síndroma de abstinência.

Os sintomas de privação incluem entre outros a necessidade imperiosa de fumar, irritabilidade, agressividade, ansiedade, dificuldade de concentração, dores de cabeça, aumento do apetite, tonturas.

A cessação de fumar tem benefícios de ordem física (desaparecimento do cheiro a tabaco, aumento do paladar, diminuição do risco e doenças), psicológicos e económicos.

A desabituação da nicotina não é fácil e necessita muitas vezes, intervenção e acompanhamento por profissionais de saúde especializados - médicos, enfermeiros, psicólogos -, assim como terapêutica comportamental e/ou farmacológica.

Os adolescentes que fumam podem deixar de fumar com facilidade e basta parar de fumar para o conseguir pois não estão verdadeiramente de pendentes do tabaco.

A "Luta Antitabágica" constitui importante "problema" de Saúde Pública. As Consultas de Desabituação Tabágica devem ser aconselhadas como medida preventiva para deixar de fumar, há que implementar mais acções de informação e de educação da população em geral, alertando-se para o perigo do tabaco, através de conferências, de recomendações escritas em brochuras, em folhetos, em artigos, quer nos jornais públicos diários, quer nos ligados à Saúde, assim como em anúncios na televisão e na rádio. Outras acções preventivas devem consistir na política de impostos sobre o tabaco, no aumento do seu preço e nas proibições: da venda a menores; da sua publicidade; de fumar em locais públicos (unidades de saúde, escolas, recintos fechados, etc)

Aos pais deve ser dirigida uma mensagem especial:


-Não permitam, que se fume, em suas casas;
-Não fumem (se os pais forem fumadores) em presença dos seus filhos, qualquer que seja o local, onde se encontrem;
-Não permitam, que as crianças mexam em objectos associados com o tabaco, como isqueiros, cinzeiros, caixas de tabaco;
-Avisem os seus filhos sobre os malefícios do tabaco.

Aos jovens:


-Aprende a resistir às pressões para fumar;
-Recusar uma oferta é um direito;
-Fumar tem um impacto negativo (directo e indirecto) no ambiente.
-Não fumar é que está na moda;
-São várias as alternativas ao tabaco: conversar, ouvir música, ler, passear, namorar...

A luta contra o tabaco atinge todo o País.Se Portugal conseguir alertar a sua juventude, milhares de contos deixarão de ser consumidos anualmente no tratamento de doenças provocadas pelo fumo do cigarro. O jovem dum modo geral começa a fumar por um acto de rebeldia ou afirmação. Hoje, com o desenvolvimento de práticas desportivas, seria mais saudável que a juventude procurasse sua afirmação através do desporto ou de manifestação artísticas, que fazem bem ao organismo, à mente e ao espírito.


Fumo e Toxicidade

Quando um cigarro é acesso algumas substâncias são inaladas pelo fumador e outras difundem-se pelo ambiente. Essas substâncias são nocivas à saúde.

O fumo do cigarro é constituído por quase 5 mil substâncias tóxicas, dessas substâncias, 80 são cancerígenas, a nicotina, o monóxido de carbono e o alcatrão são algumas dessas substancias.

Nicotina - considerada droga pela OMS é uma droga psicoativa e é responsável pela dependência do fumador. Actua ao nível do sistema nervoso central, diminui a chegada do sangue aos tecidos e causa dependência química.
Monóxido de Carbono (CO) - diminui a quantidade do oxigénio no sangue.
Alcatrão: é altamente cancerígeno, dando início à formação de tumores.


Fumadores passivos

As pessoas que aspiram involuntariamente o fumo libertado pelos cigarros dos fumadores são designados por fumadores passivo.

Define-se tabagismo passivo como a inalação do fumo de derivados do tabaco (cigarro, charuto, cigarrilhas, cachimbo) por não fumadores, que convivem com fumadores em ambientes fechados.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o tabagismo passivo, a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, subsequente ao tabagismo activo e ao consumo excessivo de álcool (IARC, 1987; Surgeon General, 1986; Glantz, 1995).

As pessoas que estão próximas de fumadores, especialmente em ambientes fechados, inalam mais de 400 substâncias que podem prejudicar a saúde. Os não fumadores expostos ao fumo do cigarro absorvem nicotina, monóxido de carbono e outras substâncias da mesma forma que os fumadores, embora em menor quantidade. A quantidade de tóxicos absorvidos depende da extensão e da intensidade da exposição, além da qualidade da ventilação do ambiente onde se encontra a pessoa.

A fumaça dos derivados do tabaco em ambientes fechados é denominada de poluição tabágica ambiental (PTA).Tendo em vista que as pessoas passam 80% de seu tempo em locais fechados tais como trabalho, residência, locais de lazer e hospitais, o cigarro é considerado, pela Organização Mundial de Saúde, como o maior agente de poluição doméstica ambiental.

A permanência em um ambiente poluído faz com que se absorvam quantidades de substâncias tais como a nicotina em concentrações semelhantes às de quem fuma.

O ar poluído contém, em média, três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono, e até cinquenta vezes mais substâncias cancerígenas do que o fumo que entra pela boca do fumado e depois de passar pelo filtro do cigarro. Por tudo isto se deve evitar fumar em locais fechados.

Os fumadores passivos sofrem os efeitos imediatos da poluição tabágica ambiental, tais como irritação nos olhos, manifestações nasais, tosse, cefaleia, aumento de seus problemas alérgicos, principalmente das vias respiratórias, e aumento de problemas cardíacos, principalmente elevação da pressão arterial e angina (dor no peito). Outros efeitos a médio e longo prazos são a redução da capacidade funcional respiratória (o quanto o pulmão é capaz de exercer a sua função), aumento do risco de ter arteriosclerose e aumento do número de infecções respiratórias em crianças. Além disso, os fumantes passivos morrem duas vezes mais por cancro de pulmão do que as pessoas não submetidas à poluição tabágica ambiental.

Os principais grupos de risco dos fumadores passivos são as grávidas, as crianças e os asmáticos.

As crianças que convivem com pais fumadores têm maiores riscos de infecções respiratórias, bronquiolites, asma, otite e infecções da garganta.

Fumar passivamente pode provocar as mesmas doenças que fumar activamente.

Um cigarro acesso produz dois tipos de fumaça: a que o fumador aspira e devolve depois de filtrada nos pulmões e a que sai directamente do cigarro que possui as mesmas substâncias tóxicas da que é aspirada pelo fumador.

Os fumadores prejudicam a saúde dos não fumadores. Uma pessoa que não fuma, em contacto com fumadores, no final de um dia de trabalho chega a fumar o equivalente a uma média de 1 a 4 cigarros.

Os fumadores incomodam os não fumadores. Fumar não é apenas um problema dos fumadores.

Cada vez mais autoridades governamentais estabelecem regulamentos que protegem o não fumador. Tem havido uma maior conscientização dos indivíduos sobre o ar que se respira, não só em casa, como nos ambientes de trabalho e locais públicos.

Deve fazer-se mais, estimulando-se locais de trabalho, escolas, unidades hospitalares e outros sectores da sociedade a desenvolverem uma política de protecção ao não fumador em ambientes fechados.

Beijocas,
Cecilia

Wednesday, July 05, 2006

A Foca



Pertence à ordem dos Carnívoros, à família dos Pinípedes e alimenta-se com peixes e invertrebados marinhos. Habita preferencialmente nas costas arenosas e de águas pouco profundas, sendo originária da Ásia Central. As focas estão muitíssimo bem adaptadas à vida marinha, com as suas pequenas caudas e nadadeiras anteriores e também ouvidos externos. Chega a medir dois metros de comprimento e a pesar mais de cem quilos. Têm os filhos em terra, apenas um de cada vez. O tempo médio de vida varia entre os 25 e os 35 anos, chegando mesmo a atingir 40 anos.A foca branca é muito caçada devido ao valor da pele, empregue no fabrico de casacos e outros adornos.
A foca é um mamífero pinípede, que sofreu modificações consideráveis para se adaptar à vida aquática. Os ossos dos membros tornaram-se muito reduzidos, de modo que apenas as patas sobressaem do corpo. Uma membrana liga os dedos, como numa barbatana. As narinas no alto da cabeça, permitindo que o animal respire estando a maior parte do corpo imerso, mantêm-se quase sempre fechadas, mas são providas de músculos especiais que as abrem quando o animal quer respirar. A superfície frontal dos olhos é plana, a forma mais adequada para debaixo de água produzir imagens bem focadas. Para conservarem o calor do corpo passaram a apresentar, sobre a pele, uma espessa camada de gordura. Apresentam ainda outras modificações que lhes permitem mergulhar e suster a respiração por longos períodos. O volume de sangue do seu corpo é, proporcionalmente ao tamanho, muito superior ao de qualquer mamífero terrestre e, por esse motivo, conseguem armazenar grandes quantidades de oxigénio. Além disso, quando mergulham, contraem alguns vasos sanguíneos mais importantes para que a circulação do sangue arterial fique consideravelmente limitada ao coração e ao cérebro. Simultaneamente, as pulsações descem de 100 por minuto para aproximadamente 10. Assim, o animal consegue manter oxigenados os orgãos principais. em prejuízo do resto do corpo.Para dar à luz têm que se dirigir às praias, aonde não só estão expostas aos ataques dos animais terrestres, como não encontram ali o alimento apropriado. Por isso é de toda a conveniência para a foca fêmea que as crias se desenvolvam em pouco tempo e se tornem independentes o mais rapidamente possível. O leite da foca é extraordinariamente rico - contendo 50% de gordura - e a cria aumenta de peso à razão de cerca de um quilo por dia. Como durante o período de amamentação a mãe não se alimenta, o que se verifica na realidade é que ela converte a própria gordura em leite, transferindo-a para a cria. Alguns dias após o nascimento, a fêmea acasala de novo. Porém, como o período de gestação é bastante inferior a um ano, o óvulo fecundado, ou ovo, mantém-se em princípio sem se desenvolver, sendo a implantação na parede do útero retardada por vários meses. Quando finalmente se dá a implantação, o ovo inicia o desenvolvimento e assim a cria nascerá na época de reprodução seguinte, um ano depois.O grupo das focas, que abrange mais de duas dúzias de espécies todas desprovidas de orelhas, terá evoluído de antepassados semelhantes a lontras. Os membros das focas quase lhe não são de qualquer utilidade em terra. Os anteriores são tão curtos que o apoio que proporcionam é muito reduzido, e os posteriores, como não podem ser virados para a frente, de nada lhes servem. Com efeito, fora de água, as suas patas posteriores mantêm-se geralmente com as plantas unidas, tomando o aspecto de uma cauda.A foca serve-se das barbatanas anteriores quase exclusivamente para manobrar e das posteriores para a propulsão, usando uma técnica na deslocação muito semelhante à dos peixes. A maioria das focas, quando em terra, desloca-se por ondulações no corpo. Porém, a foca caranguejeira vive sobre gelo flutuante tão escorregadio que tem de mover-se sinuosamente, à maneira das serpentes. As focas são mais abundantes nas águas polares, aonde há enormes concentrações de peixe. Existem no entanto espécies que vivem em águas mais temperadas. As focas do gérero Monachus encontram-se na Madeira e costa da Mauritânia, e possivelmente ainda no Mediterrâneo e na zona das ilhas Havaí. Algumas espécies são de pequenas dimensões - a foca do lago Baical, a única que vive exclusivamente em água doce, mede apenas um metro e meio, mas todos os grupos incluem uma espécie de grandes dimensões. O elefante marinho, a maior espécie do grupo das focas, atinge seis metros de comprimento e cerca de três toneladas de peso.


A FOCA CINZENTA

A foca cinzenta,espalhada por todo o litoral do norte da Europa e da América, é menos caçada do que as outras espécies, por duas razões: ela é menos sociável que outras espécies e nunca forma colónias grandes nas praias. Além disso, os filhotes já nascem com o pelo de adultos, de um cinza vivo e com manchas escuras, ao contrário do belo pelo branco, que é o orgulho (e o infortúnio) das outras. A primeira muda de pêlo da foca cinzenta ocorre no próprio ventre materno. A foca cinzenta passa a maior parte do tempo nas águas árticas, e vem a terra apenas para dar à luz e para se aquecer ao sol. Dorme na superfície da água, acasala-se nela e só tem que mergulhar para conseguir comida, que consiste em peixes e caranguejos. O seu corpo em forma de torpedo é perfeitamente adaptado para nadar, desde as pernas que se transformaram em nadadeiras, até à cabeça redonda, desprovida de orelhas. As narinas fecham-se quando ela mergulha. Como as outras, a foca cinzenta é protegida do frio por uma camada de gordura, e por um aparelho circulatório especial.


Beijocas,
Cecília